Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

popeye9700

Crónicas e artigos de opinião, a maior parte publicada no Diário Insular, de Angra do Heroísmo.

popeye9700

Crónicas e artigos de opinião, a maior parte publicada no Diário Insular, de Angra do Heroísmo.

BAGAS SEXISMO NÃO OBRIGADO 1 E 2 (BB117)

Fevereiro 02, 2021

Tarcísio Pacheco

Abstract-woman-flowers-art-adult-paint-by-numbers.jpg

imagem em: https://numeralpaint.com/products/abstract-woman-flowers-art-new-paint-by-numbers/

BAGAS DE BELADONA (117)

HELIODORO TARCÍSIO   

BAGA SEXISMO NÃO, OBRIGADO 1 - Se calhar é um problema pessoal que eu tenho, uma frigidez intelectual, mas não consigo excitar-me e muito menos chegar a um nível orgástico, com as recentes notícias de que a Igreja Católica se prepara, a contragosto e em ambiente de “guerra civil”, para abrir às mulheres a possibilidade de obter as ordens menores lá da organização deles. Finalmente, as mulheres que, até agora, neste exército, eram civis, mães, irmãs, esposas, criadas e putéfias dos efetivos que contam, os beneficiados superiormente com testículos, vão ser promovidas a uma espécie de cabos arvorados e vestir a farda. É fixe e confesso que até nutro alguma simpatia pelo atual Papa, sobretudo por comparação com Sua Santíssima Frieza anterior. Afinal, é um papa latino e até aposto que dá uns passinhos de tango e gosta de curvas. Mais que isso, a única coisa que realmente me desagrada no señor Bergoglio é a dentadura amarelada, em forte contraste com a puríssima brancura da túnica papal. Mas, nesta questão, dou comigo a olhar para a História. Jesus de Nazaré, não obstante toda a ignorância, fantasia, convenção e demagogia sobre a vida dele, era, tanto quanto me parece, um tipo interessante para a sua época, meio hippy, revolucionário, antissistema, filósofo, místico, justiceiro e com uma saudável dose de loucura (as pessoas que hoje em dia se dizem “filhas de Deus” – e elas nem são raras – já não são crucificadas mas costumam ser remetidas para consultas de Psiquiatria, achando nós que vivemos uma época muito mais “tolerante”). Além disto, até acredito que Jesus tivesse apreço pelo género feminino, que tenha contado com muitas mulheres entre os seus seguidores e há até uma corrente, não tão desprezível assim, que, não sem uma boa dose de lógica, defende que, tendo uma criatura divina incarnado para viver a experiência humana, tenha também experimentado umas cambalhotas lúbricas. Dizem até que foi com a Maria Madalena, mas isso já são mexericos. Não confirmo nem desminto.

O certo é que esta Igreja começou com Jesus, já leva 2020 anos e foi sempre uma religião (ao contrário de outras) que privilegiou, em absoluto, o género masculino, santificando (mas também, hipocritamente, secando) a mulher como mãe e esposa. Os apóstolos eram homens, não havia “apóstolas” e a maior parte largou a mulher, os filhos e uma honesta atividade profissional para andar a vaguear pela Judeia, atrás de um visionário, com outros homens, desencadeando assim, muito provavelmente, uma das primeiras crises económico-financeiras da História. Se calhar, as mulheres andavam por lá para cozinhar, lavar-lhes as túnicas e aquecer-lhes os pés nas frias noites dos desertos da Galileia. E o sucessor nomeado ainda em vida, não foi uma Maria (essa era a Mãe ou a Amante), foi um Pedro. E a onda tem sido esta durante os últimos 2020 anos. Não é mau que queiram mudar, é saudável, mas não esperem que eu fique histérico com isto.

BAGA SEXISMO NÃO, OBRIGADO 2 - Pode parecer que não, mas até se relaciona com o tema anterior. Mal demos por elas, atarefados que andamos a passar gel nas mãos e a vigiar os espirros dos outros. Mas acabámos de viver as quintas de amigos e amigas. Já escrevi várias vezes sobre isso. Por mim, essa tradição, serôdia, anacrónica e sexista, acabava já e era substituída por uma Sexta da Amizade, com toda a malta à mistura, copos e música, mas sem o mau gosto do strip. No entanto, há quem goste desta tradição e a propósito dela componha sermões poéticos e românticos, comparando as mulheres a pombas (pela doçura) e a águias (pela inteligência). Não sei se é boa ideia comparar as mulheres ao passaredo. Desde logo porque as aves inteligentes são os corvos e as gralhas. Talvez não tenham a cadeira de Ornitologia lá pelo seminário.  E depois, convenhamos, há mulheres que são mais para o lado da galinha e homens que são autênticas rolinhas. E o menos que tem faltado neste mundo é passarão, como Trump (que já não voa e nem sequer grasna) e, no aviário nacional, Ventura, a cria irritante de águia suástica. Não sei é uma boa época para artes de capoeira. Seja como for, isto lembrou-me a história de um amigo meu, que queria ser pássaro e adorava contemplar as gaivotas a voar lá no alto. Uma alma romântica que, num dia aziago, apanhou com uma injusta cagadela num olho e, como aquilo é muito ácido, foi parar ao hospital. Portanto, cuidado, que isto das avezinhas não é tão romântico como parece à primeira vista. Aliás, nada é como parece à primeira vista.

BAGA 116 – A sua publicação foi cancelada, a meu pedido. Não era o melhor momento. Lá chegaremos, um dia. POPEYE9700@YAHOO.COM

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2010
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2009
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2008
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2007
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2006
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2005
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2004
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2003
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2002
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2001
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2000
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 1999
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D

Fazer olhinhos

Em destaque no SAPO Blogs
pub