Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

popeye9700

Crónicas e artigos de opinião, a maior parte publicada no Diário Insular, de Angra do Heroísmo.

popeye9700

Crónicas e artigos de opinião, a maior parte publicada no Diário Insular, de Angra do Heroísmo.

BAGAS DE BELADONA (37)

Outubro 30, 2017

Tarcísio Pacheco

juiz neto de moura.jpg

 imagem em: https://twitter.com/Famel_Zundapp

 

 

BAGAS DE BELADONA (37)

 

 

HELIODORO TARCÍSIO

 

BAGA MERITÍSSIMO NETO –  Estou com pena do Meritíssimo Dr. Juiz Neto de Moura. Primeiro que tudo, ele não tem culpa de ser neto de moura. Há-de ter sido essa avó de sangue sarraceno quem lhe ensinou a respeitar os textos sagrados e lhe inculcou o temor a Deus. Depois, o mundo actual está cheio de porquidades e poucas-vergonhas. Ele é adultérios, casamentos contra natura, trocas de casais, sexo em grupo, relações “abertas”. Enfim, é um regabofe de tal sorte que, se a Titi Patrocínio das Neves, a de A Relíquia, soubesse destas relaxações, dava-lhe logo um fanico mortal. Até ia espumar pelos olhos. Por isso, é que Portugal, muito mais ainda que políticos sérios e banqueiros honestos, precisa de juízes moralizadores. E nisto, ninguém leva a palma ao juiz Neto, um estudioso bíblico, que sabe interpretar, “cmé” dado, a palavra divina.

Está na Bíblia, adultério é pecado e Deus detesta-o. Lá diz o Levítico 20:10: "Se um homem cometer adultério com a mulher de outro homem, com a mulher do seu próximo, tanto o adúltero quanto a adúltera terão que ser executados.”

Portanto, comparado com a execução, se calhar a moca de pregos até é um castigo fofinho. E a pobre mas nobre vítima, ainda perdoou ao amante e até se tornaram amigos. Isso é lindo. Ninguém pode dizer que o juiz Neto é um radical. É, sobretudo, um magistrado muito compreensivo. Que, para mais, sendo homem, percebe bem o elo profundo que se pode criar entre dois homens, marido e amante, ambos enganados pela mesma perversa Jezabel. Ele é sensível à exposição social de um homem assim atingido na sua honra. As piadas com que não hão-de atormentar o desgraçado…”Eu convidava-te para ires lá a casa tomar um copo mas a ombreira da porta é muito baixinha”…; “Olha, vê a coisa pelo lado positivo, como tem feito calor, já não precisas de andar com o cachecol do Benfica ao pescoço, agora tens onde o pendurar”…

O juiz Neto sabe que as pessoas dirão que ele é um “mole” se não castigar severamente a adúltera. E que, se começarem a falar de moleza, rapidamente irão ouvir-se murmúrios do género “para ela dar aquele passo é porque lhe faltava alguma coisa em casa”…O juiz Neto, juntando tudo o que aprendeu na faculdade de Direito e no Centro de Estudos Judiciários, com as sessões de leitura comentada da Bíblia que deve ter frequentado, percebe perfeitamente que os chifres de ambos, marido e amante, se tenham, entretanto, entrelaçado. Era quase inevitável. Já vi isso acontecer na TV, com alces, na época do cio. A moca de pregos é que foi um bocadinho de exagero. Uma toalha molhada faz o seu papel e não deixa marcas externas. Mas isso é mais uma questão técnica.

Entretanto, o Pedro Mantorras parece que se tem entretido a dar umas tareias na mulher, com quem está casado há 18 anos. Antes de o julgar é preciso saber se ela não andaria a fazer olhinhos a algum vizinho… Porque aí colocam-se questões de honra, dignidade, etc.. Em qualquer caso, é só só entregar o caso ao juiz Neto, parece que foram só uns socos e pontapés…Compreensível até, num antigo jogador de futebol, quiçá enfastiado por já não jogar…Isto não é nada, é quase carinho, pelo menos a mulher não se pode queixar de não receber atenção do marido… Estas coisas são normais. Excepto se for a mulher a agredir o marido adúltero, claro. Porque aí já é uma questão de honra, dignidade, etc e então, se ele ficar com o nariz negro dos dois lados, ala, 25 anos para Tires, para aprender a não ser violenta. POPEYE9700@YAHOO.COM

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2010
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2009
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2008
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2007
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2006
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2005
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2004
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2003
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2002
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2001
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2000
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 1999
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D

Fazer olhinhos

Em destaque no SAPO Blogs
pub