Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

popeye9700

Crónicas e artigos de opinião, a maior parte publicada no Diário Insular, de Angra do Heroísmo.

popeye9700

Crónicas e artigos de opinião, a maior parte publicada no Diário Insular, de Angra do Heroísmo.

BAGA O ESCÁRNIO DA LOUCURA (BB131)

Março 17, 2022

Tarcísio Pacheco

putin hitler (1).jpg

 

BAGAS DE BELADONA (131)

HELIODORO TARCÍSIO          

BAGA O ESCÁRNIO DA LOUCURA - Quanto à Ucrânia, eis, do meu ponto de vista, a lista ordenada das possibilidades em campo, por ordem de preferência pessoal e também numa escala descendente de benevolência, sendo que, a partir do cenário 4, a benevolência se esvai e a única incógnita que resta é a do nível de malevolência.

Cenário 1 – Evidentemente, o meu favorito e pelo qual nutro mesmo uma acrisolada paixão. Putin têm um inesperado acesso de gentileza e faz-nos o favor de falecer. Hipótese altamente improvável, dirão alguns, mas convém não esquecer que ele irá seguramente falecer, mais dia menos dia, o timing é que pode ser inconveniente; hoje, amanhã, o mais tardar até ao próximo fim de semana é que dava mesmo jeito, na pior das hipóteses, antes da Primavera, que é quando o tempo se põe a jeito para reconstruções. O processo de falecimento de Putin é irrelevante, não nos vamos prender com detalhes. Pode ser por um valente traumatismo ucraniano, por exemplo. Ou pode dar-se o caso de Deus (ausente da cena há não sei quantos mil anos mas convém lembrar que para Ele foi uma escapadinha de 5 dias…) finalmente voltar daquelas fantásticas férias de sonho noutro universo, um universo feliz, ficar um bocado chateado com a barafunda e desarrumação na Sua ausência e resolver brindar Putin com um daqueles AVC’s que matam ao fim de 3 dias mas entretanto deixam a boca à banda e os olhos a girar, cada um para o seu lado; esta hipótese também é excelente, facilmente se concordará que, se alguém nestas tristes circunstâncias tentar dizer “carreguem no botão vermelho”, o mais provável é que se perceba algo como “dói-me imenso um artelho”, caso que se resolveria então com fricções de pomada Voltaren e comprimidos para dormir e ficar caladinho até ao fim.

Cenário 2 – Portugal volta a ser o farol do mundo, 500 anos depois. A Virgem de Fátima n.º 13 é enviada em campanha para a Ucrânia, (incorporada no corpo de voluntários com a patente de coronela) e mal Putin dá com ela, opera-se um milagre (sem, necessariamente, o Sol parar de girar) e Putin  converte-se. Acaba a guerra, Putin pede desculpa, ordena a retirada de todas as tropas, oferece-se para pagar as despesas todas, declara 50 anos de fornecimento gratuito de energia a toda a Europa e as lojas MacDonald voltam a abrir na Rússia, o que abranda o descontentamento dos russos mais bélicos.

Cenário 3 – Eclode uma revolta na Rússia, não do povo comum porque desses, os que se atreveram a erguer um cartaz, já foram presos, deportados para a Sibéria ou assassinados, fora os milhares que fugiram para a Finlândia. A revolta é operada por um grupo de militares descontentes. Putin é deposto e ele, todo o seu governo e as chefias militares são entregues às instâncias internacionais e julgados por crimes de guerra.

Cenário 4 – Um grupo de mediadores constituído pelo Papa, pelo presidente chinês, Erdogan e por Cristiano Ronaldo consegue demover Putin de arrasar a Ucrânia, falando-lhe ao pâncreas (na ausência aparente de coração); há um cessar-fogo, negociações, cedências de parte a parte como é dado, acabam por se entender e a vida volta ao normal, tanto quanto possível, até à próxima crise porque ninguém aceita desfazer-se das armas nucleares.

Cenário 5 – Os EUA e a CE conseguem convencer a China a ficar quietinha e a acabar o namoro com a Rússia. Putin não desiste de arrasar a Ucrânia e a guerra alastra. Provavelmente porque cai um míssil russo na Polónia, matando cidadãos de um país da NATO ou algo semelhante. Os Estados Unidos da América, a maior parte dos países da Europa e outras ainda, como a Austrália e Nova Zelândia declaram guerra à Rússia. Passam-se vários anos, há uma mortandade tremenda e uma enorme destruição, o mundo fica de pantanas, mas sobrevive. As principais cidades russas são obliteradas, a Rússia capitula, Putin é capturado ou entregue pelos seus pares, ele e os seus colaboradores mais próximos são julgados e condenados a prisão perpétua.

Cenário 6 – A China resolve alinhar na desgraça total com a Rússia. A guerra generaliza-se na mesma. Um cenário idêntico ao n.º 5, mas com índices de mortandade e destruição incrivelmente superiores. O resultado final é imprevisível, mas sempre dentro dos parâmetros da hecatombe.

Cenário 7 – Altamente improvável, mas a registar como longínqua possibilidade. A Rússia sozinha ou a Rússia e a China aliadas ganham a guerra contra os Aliados da III Guerra Mundial. O mundo cai no caos permanente e a miséria não terá um fim á vista. A civilização humana pode ser irrecuperável.

Cenário 8 – Propositadamente ou por acidente, o conflito nuclear é desencadeado, à escala mundial. Nos primeiros 2 ou 3 dias, as principais cidades da Europa e dos EUA são arrasadas, assim como toda a Rússia. Nos dias seguintes, a maior parte das grandes cidades do mundo, alvos militares, portos, aeroportos e todo o tipo de infraestruturas, terão o mesmo destino. A maior parte da população mundial morre neste período. Uma grande parte dos sobreviventes morre num período de alguns meses, devido aos efeitos da radiação. Em 2 ou 3 semanas, instala-se o Inverno nuclear, sobretudo na faixa central do planeta, até aos limites das zonas temperadas, mas, na verdade, todo o planeta, de polo a polo, será afetado. O Sol não passará pelas espessas nuvens da nova atmosfera terrestre. A maior parte dos animais e plantas não sobreviverá. Em pouco tempo deixará de haver água potável ou comida e quem não tiver morrido antes, os mais felizardos, morrerá de fome e de sede. Sobreviverão apenas alguns animais mais resistentes, como as baratas, os mais prováveis herdeiros da Terra. Sobreviverão, pelo menos durante algum tempo, alguns pequenos grupos de serres humanos, fechados em bunkers no subsolo, que já existem, construídos em segredo, com água e provisões para muito tempo. Esses bunkers estão reservados para elites políticas, seus familiares diretos e gente muito rica. É provável que Putin sobreviva e até reencontre os ratos da sua infância, que lhe terão moldado o carácter. Mas o planeta será inabitável à superfície durante muitos anos. E o cenário de extinção da raça humana é muito provável.

Nos Açores, a política regional torna-se irrelevante. Todas as lagoas de S. Miguel se tornam altamente radioativas. Na ilha Terceira, as Sanjoaninas e as touradas à corda serão canceladas, definitivamente. A alma humana morre. Tudo desaparece. É o fim. POPEYE9700@YAHOO.COM

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2010
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2009
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2008
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2007
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2006
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2005
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2004
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2003
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2002
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2001
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2000
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 1999
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D

Fazer olhinhos

Em destaque no SAPO Blogs
pub