Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

popeye9700

Crónicas e artigos de opinião, a maior parte publicada no Diário Insular, de Angra do Heroísmo.

popeye9700

Crónicas e artigos de opinião, a maior parte publicada no Diário Insular, de Angra do Heroísmo.

BAGA CACA DE CÃO (BB 120)

Março 16, 2021

Tarcísio Pacheco

caca de cão.jpg

imagem em: Bike Aesthetics | Singletrack Magazine Forum (singletrackworld.com)

 

BAGAS DE BELADONA (120)
 
HELIODORO TARCÍSIO
 
BAGA CACA DE CÃOPeço desculpa, sei que incomoda e, sobretudo,
cheira pessimamente, mas tenho de a referir porque a escolhi como um dos
indicadores maiores do nível civilizacional. Aí há uns poucos de anos, os
saquinhos de plástico para caca até estiveram na moda, mas diz-me a
História que as modas boas duram pouco, apesar dos saquinhos de plástico
em geral se terem multiplicado ao ponto de já ameaçarem sufocar o
planeta. O senso comum costuma usar indicadores como desenvolvimento
urbano, número de automóveis por habitante, de estabelecimentos de fast
food e de canais oferecidos na televisão por cabo, para medir o nível de
civilização alcançado. Acho isso tudo compreensível, embora, de um ponto
de vista pessoal, me interesse pouco. Mas a caca de cão…ah, a caca de
cão… não há nada como a legítima e autêntica caca de cão, para aferir o
grau de desenvolvimento de um povo. É um indicador seguro, que não
falha, apesar de implicar um certo paradoxo, uma vez que o amor e respeito
pelos animais e a sua multiplicação nos nossos lares, como companheiros
de vida, constituam, por seu lado, indicadores de evolução de mentalidades.
Claro que esse acrisolado amor pelos animais que carateriza o nosso
presente tem muito que se lhe diga, uma vez que os que podem ser
comidos, sobretudo se forem bem saborosos, ficam fora deste filme
ternurento. Não é que os odiemos, nada disso, mas ficamos extramente
satisfeitos por haver pessoas que não se importam nada de os matar para
lhes podermos ferrar o dente. Mas isso é outra história, não vamos
complicar as coisas. O certo é que qualquer amoroso cachorrinho tem o 
péssimo hábito de largar fezes malcheirosas, mais que uma vez por dia, de
tamanho e peso proporcionais às medidas do animal. E as pessoas amam os
seus cães, tratam-nos bem, alimentam-nos como é dado e levam-nos
regularmente ao veterinário (por falar nisso, a quantidade de consultórios
veterinários que abriram para tratar de cães e gatos, é impressionante, isto
no fim de contas vai sempre bater na Economia…). Mas a caca dos cães
deles, isso é outra coisa, é algo tão precioso, que, generosamente, não
resistem a partilhar com o resto do mundo. Basta passear pela marginal de
Angra, do Cais da Figueirinha ao Porto de Pipas, para tropeçar
(literalmente) nestes verdadeiros tesouros, em variadas formas, cores e
consistências. Ao ponto de ser bastante fácil, mesmo sem querer, levar para
as nossas próprias casas, nas solas dos sapatos, um pouco desses presentes.
Eis como, acabamos por ter cão em casa, mesmo sem querer, ADN canino,
pelo menos.
Então, para concluir, porque ninguém há de querer ler muito sobre caca e
fazem muito bem, acredito piamente que há uma relação inversamente
proporcional entre caca de cão e grau de civilização. Com possível
expressão numérica, talvez um quilo de caca de cão equivalendo a um ano
de retrocesso civilizacional, digo eu. Então, deixo aqui uma proposta de
projeto para um investigador sério na área da Sociologia. É só fazer a
caminhada que fiz ontem, das baías de Angra, da Silveira ao Porto de
Pipas, levando um saco de plástico (dos maiores) e luvas grossas. A
máscara já vai no nariz. Depois, chegando a casa é só pesar, com uma
balança de precisão. É só um palpite, vale o que vale, mas, se tiver sido um
sábado, por exemplo, que é mais prolífico em dados de investigação, contas
feitas, vai-se descobrir que ainda estamos em meados do século passado.
Enquanto os norte-americanos iam à Lua, nós enchíamos os caminhos de
caca de cão. Agora, os norte-americanos estão quase em Marte e a gente…
continua agarrada à caca de cão. Peço de novo desculpa, juro que ia
escrever sobre outras coisas também mas acabei por encher tudo com caca
de cão. Sinais dos tempos… seja como for, o outro assunto era Bolsonaro e
acaba por ser tudo mais ou menos a mesma coisa.
POPEYE9700@YAHOO.COM

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2010
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2009
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2008
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2007
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2006
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2005
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2004
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2003
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2002
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2001
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2000
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 1999
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D

Fazer olhinhos

Em destaque no SAPO Blogs
pub