Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

popeye9700

Crónicas e artigos de opinião, a maior parte publicada no Diário Insular, de Angra do Heroísmo.

popeye9700

Crónicas e artigos de opinião, a maior parte publicada no Diário Insular, de Angra do Heroísmo.

BAGA E AGORA QUE NÃO SEI O QUE HEI-DE DIZER?

Fevereiro 20, 2018

Tarcísio Pacheco

conservador.jpeg

 imagem em: https://triz-journal.com/problem-solving-without-logic-a-falsification-test/

 

 

BAGAS DE BELADONA (46)

 

 

HELIODORO TARCÍSIO

 

BAGA E AGORA QUE NÃO SEI O QUE HEI-DE DIZER? – Mr. Right, o senhor articulista do DI, conservador, de direita e admirador de Trump e do seu slogan “America first”, a cujas ideias me referi no Bagas de Beladona (44), sem citar nomes, no seu habitual e bizarro post-scriptum que nunca tem nada a ver com o scriptum, nitidamente abespinhado mas a fingir o contrário, utilizou a estafada estratégia dos pobres: o objecto de discussão não vale a pena e o oponente ainda menos. O estranho é que o objecto de discussão, capitalismo versus socialismo, foi trazido a público por este senhor, não por mim. Se não vale a pena, tivesse ficado quieto. À primeira vista parece dignidade mas não passa da pobre estratégia de quem não sabe o que há-de dizer nem tem nada para dizer. O que não admira porque se enxergasse alguma coisa nesta vida, saberia que o capitalismo é a morte do mundo e não é a longo prazo. É o capitalismo, o amor pelo dinheiro, pelos bens materiais e o espírito de lucro e de acumulação, que, em grande parte,  fazem do mundo a miséria que ele é hoje. Para quem não é cego, basta olhar à sua volta. Mas isto, nem através de um microscópio, este senhor conseguiria vislumbrar. Além disso, ensaia um insulto pessoal que, com a sua falta de jeito, julga velado. Já devia ter experiência para saber lidar com estas coisas com mais sabedoria. Se quer escrever para os jornais, para o público, sujeita-se a que alguém critique as suas ideias. Se não sabe responder, então, mais vale começar a escrever, para variar, post-scriptum que tenham algo a ver com os scriptum e deixar-se de insultos maquilhados, que isso fica muito feio na idade dele. As ideias do Mr. Right foram o mote para a minha baga. Mas, entenda-se, o meu discurso não era centrado na sua pessoa, que nada me diz. Não escrevi para que me respondesse, escrevi para contestar aquelas ideias, o que é um direito que me assiste. Não escrevo cartinhas para os jornais, essa é a mania de um ex-amigo meu. As minhas ideias parecem esquisitas, fora do formato, não alinhadas? Se fosse para escrever o que toda a gente escreve e do mesmo modo, para que escreveria eu? Ao Mr. Right falta-lhe entender muita coisa mas em particular, que é o contraditório do seu discurso que lhe poderia dar oportunidade de brilhar e até mesmo de arrasar. Se for capaz disso, evidentemente. Se tem resposta à altura, então deve responder. Se não tem, deve calar-se e admiti-lo implicitamente. Se tivesse ficado calado, eu teria feito o mesmo até porque ando há anos a resistir a comentar a regular babugem de direita dele. Agora, fazer de conta que não responde porque o outro é tolo, isso não resulta, está muito visto,  revela incapacidade e pobreza de espírito. E é sobretudo por respeito à sua vetusta idade que não cito claramente o seu nome. Toda a gente sabe que não me coíbo de chamar os bois pelos seus nomes. Um conselho final: vá ao dicionário ver o que significa post-scriptum e com que finalidade deve ser usado. POPEYE9700@YAHOO.COM

 

 

BAGA ADN BENFIQUISTA

Fevereiro 16, 2018

Tarcísio Pacheco

gay.jpg

 imagem em: http://wikiality.wikia.com/wiki/File:Soccer_is_gay.jpg

 

 

BAGAS DE BELADONA (45)

 

 

HELIODORO TARCÍSIO

 

BAGA ADN BENFIQUISTA – Só porque aqui há poucos anos publiquei um estudo bem intencionado e quase científico sobre o perfil do adepto benfiquista, já tenho sido acusado de não gostar do Benfica. Nada mais injusto e isto faz-me sentir mal, especialmente neste período de depressão pós-carnavalesca, em que acordo com saudades do povo do meu Bailinho das Mulheres do Porto Judeu. Para provar a minha boa fé, decidi chamar a atenção da Casa do Benfica da Terceira para um jogador estrangeiro que está disponível e mortinho para vir jogar em Portugal. É paraguaio, chama-se Bernardo Caballero e jogava até há bem pouco tempo no Rubio Ñu de Luque, do Paraguai. Actualmente, está no mercado, parece que se zangou com o namorado, quer dizer, com o presidente do Rubio Ñu, quer dizer, é a mesma coisa. Desconheço os detalhes mas parece que é uma história de ciúmes, de saias, quer dizer, de calças. Bernardo é um jogador com muito mercado, muito cobiçado, completo, flexível e adaptável, que joga em qualquer posição. Tem muitos pontos fortes,  a saber: grande beleza física, o que distrai os defesas mais sensíveis e dá boas fotografias nos media; grande capacidade de envolvimento do adversário, muito poder de penetração, excelente cobertura, grande potência de remate e extrema eficácia na marcação homem a homem; gosta de ajudar a defesa e é famosa a forma como se cola aos atacantes adversários. Como ninguém é perfeito, Bernardo também tem os seus pontos fracos: algum descuido na protecção da retaguarda e tendência para abuso no contacto directo com o adversário. Na verdade, Bernardo ajudou muito a popularizar no Paraguai a expressão “o futebol é um desporto de contacto”. Entrevistado há pouco tempo por uma revista cor de rosa paraguaia, Caballero abriu-se sobre o seu passado e revelou que desde criança tinha tendência para sonhar com  futebolistas e que o seu projecto de infância era ser árbitro de futebol pois adorava andar de apito na boca. Mas depois, na adolescência,  teve algumas experiências reveladoras e percebeu que o seu destino era outro embora envolvendo sempre homens fortes, brutos e suados. Inquirido sobre a hipótese de ingressar no Benfica, falou com muito entusiasmo do clube, da lendária virilidade dos seus adeptos e elogiou Luís Filipe Vieira, de quem disse tratar-se de um homem bonito e com um bigode  sexy. Eu sei que deveria ter proposto este excelente jogador ao meu clube, o Sporting mas, infelizmente, o ADN de Caballero é todo encarnado e ele já disse que, em Portugal, só se vê a jogar no Benfica. Eu também só o vejo lá.

POPEYE9700@YAHOO.COM

 

 

BAGA AMO TANTO O CAPITAL

Fevereiro 09, 2018

Tarcísio Pacheco

capitalismo 8.jpg

 

imagem em: http://ideiasembalsamadas.blogspot.pt/2015/09/o-capitalismo-e-o-sistema-mais-desumano.html

 

BAGAS DE BELADONA (44)

 

 

HELIODORO TARCÍSIO

 

BAGA EU AMO TANTO O CAPITAL – Um habitual articulista do DI, um conservador à antiga, que não esconde o seu profundo e cego amor por tudo o que é das direitas, publicou recentemente um artigo em que tece loas ao capitalismo e culpa o socialismo por todos os males do mundo. Não deixa de ser caricato que, estando o mundo na barafunda do costume mas pior do que nunca, com terroristas radicais, governantes populistas, regimes fascistas, miséria extrema, fome, bandos de refugiados, aquecimento global, catástrofes ambientais, os oceanos a morrer, a vida a extinguir-se por todo o lado e uma real ameaça de holocausto nuclear, o bom do nosso homem centre o seu discurso com tiques de vitorioso no facto de que os líderes socialistas na Europa quase não existem. Se assim é, se o mundo em que vivemos é o produto da vitória do capitalismo e do fracasso do socialismo, então deveríamos estar a viver num mundo perfeito e a caminhar para a perfeição absoluta, alvo da inveja de toda a galáxia. Deve ser por isso que os OVNIS por cá andam... Os estúpidos ET’s querem ver com os seus próprios olhos o maravilhoso sucesso da Terra e depois, envergonhadíssimos, tomam o primeiro wormhole aberto ao tráfego e vão-se embora, apressados, a velocidades muito acima da velocidade da luz (desculpa Einstein, estavas enganado), loucos para instaurarem o capitalismo nos seus miseráveis planetas socialistas. E o nosso articulista, para fundamentar a sua fé inabalável nas virtudes da religião capitalista, cita Winston Churchill, um político conservador que deve a sua fama sobretudo ao seu papel na II Guerra Mundial e Margaret Tatcher, uma política ultra conservadora, precursora das mais lamentáveis práticas do neoliberalismo, essa forma de governo/religião assente nos mercados de capitais e na exploração dos cidadãos. Todos podemos encontrar citações que justifiquem as nossas preferências. E nem é preciso ir buscar Marx ou Trotsky. Entre centenas possíveis, uma das minhas favoritas é “O capitalismo é a exploração do homem pelo homem. O socialismo é exactamente o contrário” (Stanlislaw Ponte Preta – pseudónimo do escritor brasileiro Sérgio Porto, falecido em 1968). Esta frase genial sintetiza o que penso sobre o assunto. A raça humana é extremamente imperfeita e nela coexistem o belo e o horrível. Todos nós somos basicamente egocêntricos e procuramos o nosso próprio bem. Só somos capazes de trabalho e esforço se daí nos advierem claros benefícios, sobretudo do âmbito material. Somos basicamente mulas que correm eternamente atrás de uma cenoura. Mas também somos capazes de empatia, compaixão e solidariedade. A Humanidade é dual. Somos capitalistas e socialistas. Vamos sempre viver esse conflito. As nossas únicas hipóteses têm a ver com bom senso e equilíbrio. É exactamente por isso que sou pessimista quanto ao futuro. Já que falámos em ET’s, será que o nosso articulista viu um dos meus filmes de culto, AVATAR? Passa-se na lua Pandora, um satélite do planeta gasoso Polyphemus, no sistema Alpha Centauri. Os nativos, os Na’vis, desenvolveram uma civilização de absoluto equilíbrio, profundamente ecológica e cimentada por uma forte ligação espiritual entre todos os seres vivos e a sua memória colectiva. Os Na’vis são socialistas. A empresa mineira terrestre que, cheia de dinheiro, máquinas e recursos, vem para explorar Pandora, a qualquer custo, é capitalista. Podia ser uma empresa de Trump, transportada nas naves de Elon Musk. Percebido?  POPEYE9700@YAHOO.COM

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2010
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2009
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2008
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2007
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2006
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2005
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2004
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2003
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2002
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2001
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2000
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 1999
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D

Fazer olhinhos

Em destaque no SAPO Blogs
pub